Posts com Tag ‘Inspiração’

Vamos falar de coisas diferentes? Quero me apresentar um pouco para vocês. Aliás, faz quase 3 meses que “estamos juntos” e não se se já falei de coisas que gosto muito. Aliás, coisas que me trouxeram para a Vanessa que vos fala hoje. Bom, eu sou paulista, nasci e vivi a minha vida quase toda em São Paulo capital. Ao longo dos últimos anos ando descobrindo mais de mim do que nunca. Eu amo viajar. Aliás, estar com pessoas diferentes, lugares diferentes e vivenciar culturas diferentes me preenche. Detesto solidão, sou péssima sozinha. Sou muito indecisa. Amo cores, tanto que as vezes perco a linha. Gosto da verdade, até mesmo quando ela dói. Escrevo na maior parte das vezes como uma espécie de desabafo e como forma de me “ver” no futuro. Eu já tive blogs de poesias. Sempre percebi que escolho bem aquilo que quero presenciar, por isso, amo fotografia. Tenho péssimo senso de direção.

Vir aqui e escrever sobre essa fase da minha vida me ajuda muito a emagrecer mentalmente, isso porque quase nunca (pelo menos de tudo que eu li eu nunca vi) as pessoas te falam que você primeiro emagrece a mente, pra depois emagrecer o corpo.  A gente sempre pensa ao contrário. Eu vivo me imaginando magra, e muitas vezes isso está ligado a momentos de felicidade. Errado. Estar magra não é o que me fará feliz, mas os momentos que vivo hoje, e esse encontro comigo mesma.

 

Escolhi este post para falar disso pois o caminho que estou percorrendo agora tem uma estranha relação com as descobertas que fiz há um tempo atrás: viajar.  Não estou falando de ir para um hotel e escolher bons bares, boas noitadas, compras e tudo isso. Estou falando de fazer uma trilha e descobrir uma praia linda onde os sons são os mais naturais possíveis. É sair do óbvio e mergulhar em uma cultura – contrária a sua – e vivenciar isso com a alma aberta. Tem até uma expressão de Paulo Coelho que me faz ver um pouco disso – É uma sensação única de alma crescida. Você não coloca na sua vida só a sua casa, o trabalho, a escola, as ruas da sua cidade. Você insere montanhas, céus diferentes. mares turbulentos. Você acrescenta o deserto do Saara, as pirâmides do Egito, a Torre Eiffel, a tribo indigena, Machu Picchu. Entende? E tudo isso é tão gigantesco que sua alma cresce, e certas coisas já não te fazem tão feliz. Talvez as simples coisas, mas não as mais óbvias. Não é mais a roupa de marca, o batom vermelho, o perfuma da vez. É pés descalços sobre a areia, brisa do final de tarde percorrendo seu braços e pernas. A sensação de sentir o cheiro da vida a sua volta. Is really something else.

Hoje me peguei pensando nisso por que mais uma vez me vejo dentro de uma situação inesperada, onde coisas que me chateiam muito me cercam, mas ainda sim, consigo ampliar o meu “horizonte” e percebo que isso não é nada, é só uma fase, um detalhe. É só mais um capítulo da minha vida, e que no meu livro ainda faltam muitas páginas, e preciso preencher algumas, outras serão preenchidas por outras pessoas. As vezes será o passado que irá preencher as folhas da minha vida e com certeza o futuro é quem irá dizer qual tipo de romance eu irei viver. São muitas coisas, mas a única certeza que não acaba aqui, e não acaba agora…simplesmente a vida continua.

 

 

Anúncios

#Eu x Todos

Publicado: agosto 19, 2012 em Amor Próprio
Tags:, ,

Imagem

Me perdoem a falta de posts por aqui, mas o final de semana começou agitado. Mas vamos aos relatos. Sexta-feira o pessoal do trabalho começou uma competição saudável, o Quem perde ganha. consiste em uma disputa para ver quem perde mais % de gordura. Na sexta os “competidores” pesaram e marcaram o que a gente chamou de baseline, ou seja, a taxa de gordura inicial. Bom foi ver que entre todos eu sou a mais gorda e a que tem a maior taxa de gordura! Desespero?!? Não. Estimulo, mais um na verdade. Mais um para seguir a diante.

Na sexta me pesei e já perdi 3,800 kilos. Não é muito eu sei, mas ainda não havia passado da metade do mês e já estão faltando apenas 1,200 para bater a minha meta do mês.

Dai, fomos todos juntos almoçar coisas mais lights. Fiz uma coisa que nunca pensei que faria, comi uma salada com figo. Vejam bem, depois de ler em centenas de blogs que a gente literalmente come com os olhos eu tinha que experimentar. Comi uma salada verde com figo e uma panqueca de frango com alho poró. AMEI. Passei mal de tão bom! E me senti alimentada até a noite.

Aconteceram algumas coisas não tão legais ao longo do dia e acabei mesmo me desanimando de ir para academia. A empresa que trabalho está passando por uma grande reestruturação e ninguém sabe o futuro de ninguém. Fiquei pensando que isso não pode fazer com que tudo seja um motivo para comer.

Porque a grande verdade nos últimos anos é essa: fico triste = comida, estressada = comida, nervosa = comida. Dai depois de encher meu corpo de comida e ver as roupas não me servirem não posso chorar pensando que não tenho culpa. Sexta feira a noite experimentei um vestido que eu comprei pela internet. A primeira vez que vesti ele ele não coube. Quase tive um colapso, aliás, ele foi o estopim para a malhação. Ele rasgou enquanto eu provava ele pela primeira vez. Sexta experimentei, ele serviu. Quer dizer, apertado pra cara%#0 mas serviu. Fui pra dança de salão com ele. Quem disse que eu consegui dançar? Na primeira ele rasgou um pouco, no decorrer da noite ele foi descosturando, descosturando. até que não deu mais pra ficar na dança. Tive que ir embora. Todo mundo me elogiou, achou o vestido lindo, eu estava linda. Mas no fundo aquilo estava me matando, meu vestido lindo sem servir em mim. Sou a maior culpada de estar onde estou hoje. Mas também sou a única que pode mudar tudo, e este é o caminho que decidi trilhar.

Imagem

Continuando….(eu sei que está longo, mas também fiquei 3 dias sem escrever…muitas novidades)

Sábado depois de não ter malhado e ter passado pelo episódio na dança fui malhar. Sabia que teria uma aula de local as 11hs então eu acordei, marquei o spinning do 12h e fui para a academia. Malhei. Quase morri na aula de local. JURO, no 10o. abdominal eu sentia todas as dores do mundo. Quase chorei. Parei, respirei fundo e me lembrei que eu preciso ir com calma. Tomei fôlego. Fui para a minha bicicleta. Era uma professora nova. Pois é, no sábado eu descobri que temos mais duas professoras de spinning. A Katia que deu aula no sábado é voltada para EMAGRECER, ou seja na aula dela tem que suar. E como eu suei! Minha camiseta saiu molhada, eu sai de alma lavada e pensei: Estou mais perto da minha meta.